sábado, 26 de abril de 2014

Chá Beneficente de Outono

Amigos
Lembramos que no próximo final de semana, no dia 04/05, teremos nosso chá de outono.
Convites à venda na biblioteca da casa.

Teremos a nossa 6ª Expoespi "Um Encontro com Emmanuel", nos ambientes da casa.
Apresentaremos desfile de moda brechó, e musical com a juventude Ismael.
Aguardamos por sua presença.

segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

Evangelização Infanto-Juvenil


Galeto Solidário

Convites à venda nos horários de funcionamento da casa.



3ª Feira do Livro Espírita - GEIMAEL


terça-feira, 24 de dezembro de 2013

O Natal do Cristo - Emmanuel - Chico Xavier

O Natal do Cristo - Emmanuel - Chico Xavier

FELIZ NATAL QUERIDOS IRMÃOS!

Lembramos que não teremos atividades na casa nos dias 25/12 e 01/01.

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

ATENDIMENTO FRATERNO - Manoel Philomeno de Miranda

Página psicografada pelo médium Divaldo Pereira Franco, na manhã do dia 4 de novembro de 2013, na Mansão do Caminho, em Salvador, Bahia:

ATENDIMENTO FRATERNO

Quando alguém propõe-se a auxiliar o seu próximo, colocando-se à disposição para o atendimento fraterno, desenvolvem-se-lhe os sentimentos de elevação moral e espiritual, possibilitando-lhe a bênção da sintonia com o mundo transcendente superior.
Entidades nobres, encarregadas de contribuir em favor do progresso da sociedade acercam-se-lhe e passam a inspirá-lo e a protegê-lo com mais assiduidade, a fim de que sempre se encontre em condições seguras para o mister.

Quando se aprende a ouvir com serenidade, especialmente as queixas e reclamações, os brados de desespero e os profundos silêncios da angústia, ou simplesmente permitir que haja uma catarse de quem sofre, interessado em socorrer bondosamente, nunca lhe faltam os valiosos recursos do auxílio dos Mentores, que vão além das palavras consoladoras e calmantes, como também através dos processos fluidoterápicos valiosos.

Os grandes problemas e desafios humanos encontram-se ínsitos na própria criatura, desestruturada para os enfrentamentos, no debate de inúmeros conflitos não resolvidos e procedentes do passado espiritual, que se transformam em terríveis algozes, acicatando o cerne da alma e aturdindo a mente, colocando fantasmas aparvalhantes onde existem somente frustrações e insegurança.

Quaisquer pequenas ocorrências desagradáveis são transformadas em tremendos sofrimentos que aumentam na razão direta em que a falta de equilíbrio e maturidade para resolvê-los, induz à autocompaixão, à revolta, à insanidade.

Todos os males que aturdem o ser humano procedem do seu íntimo e somente na sua raiz devem e podem ser solucionados. Por essa razão, cada Espírito é o somatório das suas experiências evolutivas através do curso das reencarnações. A ignorância desse mecanismo sublime permite ao indivíduo manter-se em deplorável situação existencial, o que lhe proporciona a instalação de conflitos e tormentos desnecessários à evolução, mas que são o inevitável efeito dos comportamentos insanos. A consciência exige a reparação de todo e qualquer atentado às Leis Cósmicas de harmonia, e, por essa razão, mantém, no períspírito, os arquivos de todas as ocorrências existenciais. Oportunamente, tudo aquilo que lhe constitui culpa, leviandade, violência, extravagância na conduta, agressão à vida sob qualquer aspecto, emerge, a fim de que se lhe permita a elevação a nível mais significativo, portanto, à capacidade de registros mais profundos e menos grosseiros, defluentes da animalidade por onde transitou no passado. É comum, portanto, que as aflições emocionais prolongadas terminem em mecanismos de somatização, o que dá surgimento a enfermidades orgânicas muito complexas, ao mesmo tempo enseja contaminações de vírus, bactérias e outros microorganismos danosos à saúde.

Tendo-se em vista a necessidade da reparação dos erros pretéritos e próximos, ocorrem, inevitavelmente, as interferências espirituais negativas que mais agravam a problemática afligente.

Noutras vezes, e não em número inexpressivo, toda ocorrência de sofrimentos tem origem na presença e imantação fluídica de adversários espirituais do ontem, que não conseguiram superar os ressentimentos e optam pela infeliz cobrança, como se fossem transformados nos braços da divina justiça, iniciando as sutis ou abruptas obsessões de efeitos danosos e de complexidade terapêutica muito grande, por depender essencialmente do enfermo.
Em quaisquer casos, no entanto, a compreensão do atendente fraterno torna-se essencial.
A não pressa em dialogar, os cuidados com as colocações propostas, o evitar sempre diagnósticos depressivos ou alarmantes informações sobre perseguições de ordem espiritual, que os necessitados ignoram, são essenciais, a fim não lhes produzir mais danos que benefícios.

A discrição do ouvinte, na condição de cooperador espiritual, torna-se relevante, sem expor a outrem, sem comentar as experiências dolorosas do seu próximo, enquanto mantém cuidados no dialogo esclarecedor à luz da meridiana sabedoria do Espiritismo. Jamais sugerir terapias fora daquelas recomendadas pela Doutrina Espírita, seja orientar a busca de profissionais na área da saúde, propor superstições em voga ou aquelas que são heranças do passado, assinalando o atendimento pela serenidade, compreensão e gentileza, ao tempo em que, tampouco, deve prolongar por muito tempo a conversação psicoterapêutica, para evitar criar dependências emocionais e afetivas com o cliente. De bom alvitre manter-se o cuidado de não receber o mesmo enfermo continuamente, desde que, após instrumentalizá-lo para os esforços pessoais que deve aplicar-se na busca da saúde, encaminhá-lo às das reuniões de explicações doutrinárias, assim como receber os auxílios fluídicos. Cuidar de não prometer curas e soluções mirabolantes, porque cada caso é especial, sua estruturação no Espírito tem uma longa história de difícil compreensão num rápido lance, nem encorajar ilusões difíceis de serem tornadas realidade.

O atendimento fraterno não substitui o confessionário das antigas religiões nem deve permitir que o entrevistado revele segredos, de que se arrependerá, para que o ouvinte não se transforme num cofre de revelações dispensáveis para o mister. Algumas pessoas têm falsa necessidade de narrar os dramas interiores, envolvendo os membros da família, especialmente os parceiros ou afetos, como responsáveis pelo que lhes ocorre, e isso acarreta problemas mais sérios, por causa da utilização intencional de usar os conselhos como arma contra aqueles que supõem serem os seus algozes.

Os dramas existenciais de heranças, de infidelidade conjugal, de rebeldia de amigos e familiares devem sempre ser ouvidos com silêncio, desviando o tema para as consolações que a Doutrina propõe, assim como para o estudo de O Livro dos Espíritos, de Allan Kardec, a fim de o fazê-las entender as razões das ocorrências que assinalam.

Trata-se, portanto, o atendimento fraterno, de um valioso e grave compromisso que se constitui num importante desafio a que a pessoa se submete. Nele encontra-se também a mensagem da caridade no aspecto delicado da assistência moral e espiritual, sempre dignificando aquele que chega atormentado e carente de afetividade, não se permitindo, porém, arrebatamentos e emoções que possam transformar-se em sentimentos de paixões subalternas ou de excessiva compaixão.

Quando o atendente está consciente dos fatores que respondem pelas provações, esclarecido pelo conhecimento da reencarnação em nome da Divina Justiça, não perde a serenidade diante dos mais escabrosos acontecimentos, não se choca com narrações exageradas ou graves, a fim de que a sua palavra e a sua emoção sob controle possam sustentar o combalido, ao invés de desviar-se do essencial para os comentários paralelos sem significado. Nunca dizer de improviso que o problema é resultado de obsessões espirituais nem fazer narrações aterradoras, ou que se trata de mediunidade não cuidada, por falta da prática da caridade, já derrapando em julgamentos que não têm cabimento. Fortalecer o ânimo do visitante com jovialidade e ternura, ao tempo em que lhe demonstre a necessidade de responsabilizar-se pelas ocorrências e conseguir superá-las com paciência, com mudança das paisagens mentais e com a consequente alteração do comportamento moral para melhor.

O atendimento fraterno objetiva diluir informações equivocadas que o paciente traz sobre o Espiritismo, retirar-lhe a ideia mágica ou sobrenatural, deter-se no problema central, sem desvios narrativos inecessários, com demonstração de solidariedade, mas sem parecer que, a partir daquele momento, tudo se modificará ou pretender assumir o compromisso de passar a carregar-lhe a problemática.

Jesus, o exemplo máximo de atendimento fraternal aos infelizes, na Sua superioridade moral, evitava os diálogos longos e as interrogações secundárias, sendo direto no exame da questão, quando perguntava aos que O buscavam: - Que queres que eu te faça? Ou Tu crês que eu te posso curar? E, de maneira incisiva, após operar a mudança no transtorno de qualquer natureza do enfermo, completava: - Vai e não tornes a pecar, a fim de que não te aconteça nada pior. 

Impossibilitado de agir de igual maneira, o atendente espírita, deve sempre dispor-se a ajudar, favorecendo o visitante com as diretrizes para a autoajuda, para a sua renovação e saída do erro gerador do distúrbio que o aflige. Orientar com sabedoria e bondade é uma difícil arte de amar. O ser humano de hoje conduz interiormente todas as heranças do longínquo passado, por cujos territórios passou armazenando experiências nem sempre edificantes. A predominância das paixões primitivas remanescem fortes, dificultando-lhe o desenvolvimento moral que é mais lento e mais mportante. Por essa razão, os diálogos durante o breve contato entre paciente e atendente deve constituir-se de singulares cuidados, especialmente preservando a integridade moral de ambos os dialogadores.

Todos aqueles que chegam atormentados em busca de conforto moral, trazem, às vezes, inconscientemente, as respostas que gostariam de ouvir, especialmente os queixosos e reclamadores, os acusadores e os depressivos, sendo indispensável manter-se cuidado com as palavras a exteriorizar-lhes e sem nenhuma presunção de convencê-los, mas sim, responder às indagações que sejam feitas, ao tempo em que favorece com os caminhos a percorrer a partir daquele momento.

Jamais sugerir o abandono das terapêuticas médicas a que vêm sendo submetidos, não interferindo numa área que não lhe diz respeito, nem tem condições de pronunciar-se. Pelo contrário, vale o cuidado de interrogar-lhes se recebem assistência especializada e mesmo diante da reclamação de que a mesma não tem dado os resultados desejados, estimulá-los a prosseguir ou mesmo, se for o caso, procurar outro facultativo.

O Espiritismo não vem combater nenhuma ciência, especialmente a médica, antes contribui em favor de resultados mais amplos, por demonstrar que o Espírito é o ser do qual procedem todas as manifestações existenciais. Essa união das duas doutrinas – a médica e a espírita – é de fundamental significado para o bem-estar da criatura humana e, por extensão, da sociedade.
Nas recomendações que se deve apresentar ao paciente, é necessário elucidar o valor dos passes, da água magnetizada ou fluidificada, da oração e do comportamento como indispensáveis à sua recuperação. Em circunstâncias mais embaraçosas, não perder a calma, não reagir da maneira como seja agredido, tendo em vista que o socorro não se pode converter em revide, porque o doente nem sempre tem noção exata de como se está conduzindo durante o atendimento. São muitas as angústias que desnorteiam o ser humano e, em razão disso, os desequilíbrios emocionais tornam-se mais comuns e repetitivos, merecendo mais cuidado e entendimento fraternal, acalmando-o com vibrações de ternura e ondas de caridade, que constituem especial elemento de recuperação.
Cuide-se o atendente fraterno de orar com unção, experienciar contínuas emoções de alegria pela alta honra de poder servir, mantendo-se em sintonia com o Divino Médico de todos, que se encarregará dos resultados finais.

Por fim, aplicar-se o sublime ensinamento: Fazer ao próximo como gostaria que o mesmo lhe fizesse. Nisso reside o êxito do empreendimento de amor, resultando na caridade numa das suas mais sublimes manifestações.

Manoel Philomeno de Miranda

(Página psicografada pelo médium Divaldo Pereira Franco, na manhã do dia 4 de novembro de 2013, na Mansão do Caminho, em Salvador, Bahia.)

segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Campanha de Natal

Olá Amigos 

Dia 15/12/13 realizaremos a tradicional festa de Natal para as crianças da comunidade, quando ofereceremos cachorro quente, refrigerante, guloseimas e brinquedos.
Serão presenteadas crianças até 10 anos de idade, inscritas até dia 30/11 em nosso departamento de assistência e promoção social espírita, mediante apresentação da caderneta de vacinação.
Já temos mais de 100 crianças inscritas.
Caso queiram colaborar, aceitamos doações de refrigerantes, ingredientes para o molho, e dinheiro, pois compramos os pães de mesmo tamanho e brinquedos iguais para as crianças.
Sua doação pode ser entregue na casa até o dia 10/12.
Desde já agradecemos sua colaboração.

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Agenda de Eventos

Caros Irmãos

Anotem em suas agendas os próximos eventos no Grupo Espírita Irmão Ismael:

. GALETO SOLIDÁRIO
Dia 10/11/2013
Meio galeto com polenta
Convite a R$ 15,00 (é para levar, tem que levar um pote para pegar o galeto)
Retirar o galeto das 11h30min às 13h.
Convites à venda na biblioteca da casa.


. FEIRA DE ARTESANATO ESPECIAL DE FINAL DE ANO
De 18/11 a 30/11/2013
Nos horários de funcionamento da casa.
Venda de artigos produzidos pelas turmas das oficinas de geração de renda e oficineiras.
Artigos em tricô, crochê, fuxico, artesanato culinário.



. BRECHÓ BENEFICENTE
Dia 23/11/2013
Horário das 15h às 18h
Venda de roupas, calçados e acessórios (masculino, feminino, infanto-juvenil).

. JANTAR PRÓ-OBRA
Dia 30/11/2013
Horário - 20h30min
Local - Rua Quaraí, 324 - Bairro Niterói - Canoas
Cardápio - rodízio de massas, acompanha galeto e saladas.
Valor do convite - R$ 25,00
Convites à venda na biblioteca.



segunda-feira, 16 de setembro de 2013

AGRADECIMENTO

A direção do Grupo Espírita Irmão Ismael agradece pela presença de tantos e queridos amigos no Chá de Primavera realizado em 15/09/13.
Agradecemos muitíssimo a todos que contribuíram para o brilhantismo deste evento: à equipe que executou as tarefas com dedicação, cuidado, carinho e união; às crianças, jovens e evangelizadores do DIJ e aos componentes do Grupo Girassois pelas apresentações que emocionaram a todos os presentes; aos trabalhadores e estudantes que colaboraram com todo tipo de doações.
Agradecemos a todos e a cada um pelo carinho que tem por esta casa que nos acolhe, e principalmente à espiritualidade que nos mantém unidos pela casa e pela causa.

terça-feira, 3 de setembro de 2013

Chá Beneficente da Primavera

Olá
Já reservou seu convite para nosso Chá de Primavera?
Será dia 15/09, das 16h às 19h, em nossa sede à Rua Alegrete nº 100, Bairro Niterói.
O convite custa R$ 13,00 e você terá um prato com salgados e doces, chá à vontade e uma fatia de torta.
Teremos algumas boas surpresas, que não revelaremos antecipadamente.
Os convites estão à venda na biblioteca da casa, em nossos horários de funcionamento de 2ª a sábado.
Todos são muito bem-vindos!